13 de fevereiro de 2010

A religião serve para confortar?

Bom dia Meu Filho, Minha Filha!


Há pessoas que pensam que se acredita em Deus para satisfazer uma necessidade. Pensam que a religião serve para confortar. Mas a verdade é que Eu não procuro dar satisfação a ninguém. Aliás: uma boa dose de insatisfação e de incómodo faz sempre bem.


Pior que andar incomodado com a vida é estar acomodado à vida. Pior que andar insatisfeito é estar aborrecido com a vida. Enquanto uma pessoa incomodada está em procura activa, a pessoa acomodada já desistiu. Enquanto a pessoa insatisfeita se mexe, mobiliza e se torna protagonista no mundo, a pessoa satisfeita já se retirou.


Por isso, Eu não procuro saciar nem confortar: prefiro pessoas com sede, com fome de um mundo mais justo e solidário. Prefiro pessoas abertas aos outros e ao futuro. Pessoas incapazes de ficar paradas e caladas.


Um abraço deste Pai que te ama


4 comentários:

concha disse...

Boa noite meu Pai!
À interrogação do titulo, eu respondo que muita gente diria que sim.
Nem sempre foi assim mas hoje sei que é quando me desinstalo que Te encontro e me sinto feliz.
Obrigada sempre pelas Tuas palavras aqui deixadas e que contribuem para que veja com mais clareza a minha própria realidade.
Um abraço desta filha que Te quer amar sempre

Isabel Mota disse...

Bom dia
Para mim o Pai pede sempre aos seus filhos que se relacionem com Ele. E isso já implica uma postura activa. É uma relação feita de diversos momentos, de zangas e reconciliações, de incompreenções (como mãe às vezes já vejo isso nos meus filhos)... mas tempo disponível para os levar a perceber. E, a circundar todos estes momentos uma linha chamada Amor.
Um grande abraço a todos, Isabel Mota

hhuuggoo disse...

Eu compreendo o que aqui se pretende dizer... mas penso que há alguns riscos nesta explicitação radical das coisas... É claro que Deus não serve só para confortar... É claro que a nossa relação com Deus não pode ficar-se um plano mercantilista, em que nos relacionamos com Ele só quando precisamos de alguma coisa... Mas podemos dizer que Deus não serve para suprir necessidades? Então serve para quê? Se não serve para confortar, nem para suprir necessidades, não corremos o risco de o abstractizar das nossas vidas? Eu penso que Deus é, precisamente, aquele que vem ao encontro das necessidades do homem, da necessidade de plenitude, de encontro, de relação... e nisso, muitas vezes, é desconforto. O desconforto do coração inquieto de que fala Santo Agostinho, a desinstalação de quem descobre a necessidade de progredir, de crescer em graça... O homem tem necessidade de perdão... Tem necessidade de Deus revelado no concreto da vida... Tem necessidade de se desinstalar... A necessidade de Deus está inscrita no próprio ser do homem, inacabado enquanto não Deus não o encontra na sua história (cf. Sto Ireneu)...

João Delicado sj disse...

Caro hhuuggoo,

É isso mesmo. Tem toda a razão. Se Deus não supre as nossas necessidades, o que andamos aqui a fazer?

Quando afirmo "preto" sobre Deus não quer dizer que afirmar "branco" seja contraditório. De Deus podemos afirmar aspectos contrários mas que não são contraditórios. Porquê? Porque falamos de Deus. E de Deus só podemos falar por paradoxos.

Exemplo:
- Deus é pequeno ou é grande? Deus é grande e pequeno.
- Deus supre as nossas necessidades ou faz-nos sentir necessidades? Deus supre as nossas necessidades e faz-nos sentir necessidades.

O que nos vale e descansa é que Deus se serve de tudo para nos fazer crescer.

Obrigado pelo comentário!
ABRAÇO!
João.